+55 (21) 2212-9800

 

Qual a diferença entre Recrutamento e Seleção?

O recrutamento e seleção são duas atividades que se complementam para achar o candidato certo

Ao abrir uma demanda de colaborador para uma empresa, duas atividades devem andar juntas para que a procura seja realizada com sucesso. O recrutamento e seleção são conceitos diferentes e que até podem ser feitos de maneira separada. Contudo, a indicação é que sejam conduzidos juntos para um resultado positivo.

De qualquer forma, essas ações são vitais para a escolha de um candidato correto para o seu negócio. Fazer a escolha errada gera frustração, perda de tempo e prejuízos para a sua companhia. Portanto, conte com a ajuda de profissionais especializados para conduzir os processos.

Conheça o significado de Recrutamento

O recrutamento é a primeira fase de ação do trabalho de um setor de RH. Ele consiste em atrair profissionais qualificados para os processos de ocupação da vaga de uma organização. Há três espécies de recrutamento: interno, externo e misto.

A divulgação de um recrutamento pode ser feita por meio de veículos online e offline como redes sociais, portais de emprego, jornais, rádios, anúncios de TV, entre outros. Para diminuição dos custos, primeiro é recomendado a criação de um processo interno para aproveitamento de talentos.

Leia também: Como funciona uma consultoria em recursos humanos

Contudo, se a vaga continuar aberta, é necessário que haja um processo externo que precisa de maior esforço em relação às formas de atração mais adequadas. É importante escolher os canais certos para divulgação, reduzindo o recebimento de currículos fora do perfil traçado inicialmente.

Qual a diferença entre Recrutamento e Seleção - Alliage

Saiba qual é o objetivo da Seleção

Após o fechamento da fase de recrutamento, é hora de começar a seleção, que se caracteriza pela triagem dos candidatos. Uma análise mais detalhada é feita para filtrar os currículos que tem o perfil adequado para a vaga disponível. Essa é apenas a primeira etapa.

Depois, os aspirantes ao cargo são convocados e passam pelas demais fases da seleção, com o acompanhamento da equipe da empresa e da consultoria de RH. Algumas delas são dinâmicas, entrevistas, testes, provas, entre outros procedimentos que visam testar as competências, capacidades e habilidades dos candidatos.

Um processo coeso de recrutamento e seleção é vital para o sucesso da contratação

Agora que você já sabe a diferença entre os conceitos de recrutamento e seleção, é mais fácil acompanhar cada uma dessas fases de escolha de um candidato para o seu negócio. Como falamos no começo, o ideal é que sejam feitas juntas, em um planejamento completo e único.

Dessa forma, todas as etapas serão conduzidas com total coesão. Atrair os profissionais certos desde o começo é tão importante quanto selecionar os mais adequados, para inibir falhas durante o processo de recrutamento e seleção. O capital humano da sua organização deve ser escolhido com presteza!

Se você precisar de ajuda para elaboração de um programa de recrutamento e seleção na sua empresa, entre em contato com uma consultoria em RH especializada no Rio de Janeiro. A Alliage Consultoria em Recursos Humanos está à disposição para tirar suas dúvidas e marcar uma conversa. Entre em contato conosco e solicite um orçamento!

Oportunidades

As últimas ofertas de vagas estarão listadas automaticamente

Confira abaixo os 10 principais desafios do RH em uma situação de reestruturação de empresas:

Estamos na era da economia do conhecimento, aquela que permite que o usuário tenha informações rápidas a poucos cliques. Isso também modifica a interação da empresa com seus colaboradores e resulta, principalmente em tempos de crise, na reestruturação dos negócios.

O RH, possuindo uma equipe de humanas, apresenta-se como o setor mais adequado para ajudar nos procedimentos de mudança, sejam eles culturais ou organizacionais. Saiba abaixo algumas atividades relevantes na reestruturação de empresas conduzidas por esses profissionais:

1. Avaliação dos colaboradores internos

É necessário que haja uma análise dos funcionários antes de qualquer decisão. Evite realizar esse processo de maneira interna, pois alguns colaboradores podem ser preteridos em relação a outros. Esse procedimento deve ser feito de maneira transparente e imparcial por um RH terceirizado.

2. Reorganização da estrutura organizacional

A mudança na estrutura organizacional tem o objetivo de otimizar processos. Geralmente é necessário simplificá-la ou modernizá-la para extinguir cargos, eliminar burocracias, substituir níveis hierárquicos, entre outras ações para facilitar a transformação que será provocada pela reestruturação de empresas.

3. Reavaliação das atividades e fluxos de trabalho

A implementação de novas tecnologias geralmente requerem mudanças nos processos de trabalho. Com isso, é necessário que haja o treinamento da nova rotina com os colaboradores. O RH pode verificar a melhor metodologia de acordo com as demandas internas.

4. Restabelecimento da motivação e do engajamento

Em tempos de crises e ações para a reestruturação das empresas é certo o clima pesado e cheio de incertezas. Só uma comunicação assertiva e transparentes pode gerar maior confiança aos colaboradores. Além disso, são necessárias outras atividades para trazer de volta sentimentos de motivação e engajamento internos.

5. Manutenção da comunicação clara e transparente

Evite que haja fofocas e comunicações mal formuladas nesse período. É época de todos se unirem para que permaneça um clima ameno dentro da empresa, mesmo com as adversidades.

6. Afastamento de conflitos nas equipes

A reorganização de diversos setores, da estrutura organizacional, do fluxo de atividades e de trabalho, entre outras mudanças podem gerar discussões entre colaboradores. É essencial que cada uma delas seja planejada de forma organizada e tenha comunicação anterior.

Leia também: Como a integração do RH e TI pode ajudar na sua empresa

7. Capacitação em novas ferramentas

A tecnologia é uma grande aliada na reestruturação de empresas. Se houver a implementação de novos sistemas é necessário que haja um treinamento prévio para evitar qualquer transtorno no dia a dia de trabalho.

8. Trabalho com outras áreas com objetivos diversos

Com as transformações digitais urgentes, os setores de RH e TI necessitam de cooperação para que haja a implantação de novas ferramentas sem gerar um impacto adverso dentro das organizações.

9. Obtenção do consenso de valores e significados

Em tempos de diversidades de pensamentos, é um desafio para o RH criar ações que criem uma cultura empresarial genuína, que possa incluir todos os colaboradores em um sentimento único de impulsionamento da empresa.

10. Criação de uma cultura colaborativa

Ter uma política de colaboração é fundamental para que a reestruturação da empresa torne-se bem sucedida. O RH deve treinar os líderes para que eles possam ser os grandes agentes de transformação internos.

Av. Rio Branco, 181 - Sala 1405 - Centro - CEP 20040-007 - Rio de Janeiro - RJ

Av. Rio Branco, 181 - Sala 1405 - Centro - CEP 20040-007 - Rio de Janeiro - RJ