+55 (21) 2212-9800

 

Evite a alta rotatividade com o treinamento corporativo

Um dos vilões do mundo corporativo pode sucumbir com a inserção do treinamento corporativo

A alta rotatividade é caracterizada quando há uma frequência elevada de colaboradores que entram e saem de uma empresa. Isso pode acontecer por diversas razões. Se a situação for identificada no seu negócio, é fundamental investigar a origem do problema. Muitas vezes a causa é a falta de valorização e motivação do funcionário, que pode ser atenuada pelo treinamento corporativo.

O profissional só evolui se ele passa por capacitações contínuas. A maioria dos mercados encontra-se altamente dinâmico, o que obriga o colaborador a se atualizar sempre. Contudo, se ele permanece em uma empresa que não observa e incentiva o seu potencial, pode se acomodar. Isso gera cansaço, desmotivação e a consequência é a procura de novos horizontes (lê-se: um novo emprego).

Portanto, o treinamento corporativo visa quebrar essa cadeia negativa, proporcionando uma nova visão para o colaborador evoluir internamente. Se essa atividade for interessante e motivadora, pode tirar o funcionário da sua zona de conforto, aumentando sua produtividade e tendo a chance de crescer dentro da organização.

Quais são as causas principais da alta rotatividade?

Há inúmeros motivos para um funcionário pendurar o seu crachá e ir embora de uma empresa. Abaixo vamos listar as razões mais comuns para que isso aconteça. Assim, você pode se prevenir contra esse movimento negativo para a sua firma.

Evite a alta rotatividade com o treinamento corporativo - Alliage

1. Clima pesado

Alguns ambientes corporativos são altamente hostis. A competitividade e as fofocas são problemas vistos de longe. Ninguém aguenta viver 8 horas da sua vida nesse clima. Isso pode acabar afastando os seus colaboradores.

2. Falta de benefícios

A ausência de incentivos como treinamentos corporativos, benefícios de descontos para funcionários, auxílio-creche, horário flexível, entre outros benefícios podem desmotivar a maioria dos colaboradores.

3. Líder ruim

Outro elemento que contribui para a alta rotatividade é a convivência com um líder despreparado e que é indiferente aos seus liderados. Com o tempo, o indivíduo gera conflitos e tensões desnecessárias com a equipe. Isso certamente vai atrapalhar o dia a dia do trabalho e afetar a motivação dos colaboradores.

4. Acomodação

Por fim, é normal um movimento de acomodação ao longo da jornada de uma carreira. Contudo, é importante que a empresa possa oferecer novas oportunidades e desafios para esse profissional sair do seu quadrado e tomar uma ação rumo a sua evolução dentro do negócio.

O treinamento corporativo possibilita a chance de promoções e perspectiva positiva da carreira dentro da organização

Com o auxílio de uma consultoria de RH, você não terá apenas um evento de treinamento corporativo, mas pode contar com um programa completo e estruturado para reter e potencializar os talentos internos. Levando-os, assim, para posições chaves no seu negócio, seja em cargos de liderança ou execução.

O investimento que você terá ao realizar esse planejamento e contínuo esforço para implementar o treinamento corporativo vai ser revertido em aumentos na produtividade e maiores lucratividades. Afinal, você aproveitará os talentos internos, sem precisar de novos recrutamentos e seleções contínuos. É terrível ter que acolher um indivíduo e dispensá-lo rapidamente, perdendo todo o tempo de aprendizado.

Depois de elaborado e executado o treinamento corporativo, ofereça alternativas complementares para diminuir ainda mais a rotatividade na sua organização como criação de uma cultura forte, oferecimento de mais benefícios, disponibilidade de horários flexíveis, entre outras.

Não deixe que apenas a capacitação seja uma forma de manter o seu funcionário no seu negócio. As demandas para cada indivíduo são diferentes e você deve sempre observar as demandas internas. Implemente-as aos poucos e vá monitorando os resultados para reduzir os pedidos de demissão. Se precisar de ajuda para o treinamento corporativo ou ações para o desenvolvimento de pessoas, entre em contato com a Alliage Consultoria de Recursos Humanos, no Rio de Janeiro! Agende uma conversa conosco.

Oportunidades

As últimas ofertas de vagas estarão listadas automaticamente

Confira abaixo os 10 principais desafios do RH em uma situação de reestruturação de empresas:

Estamos na era da economia do conhecimento, aquela que permite que o usuário tenha informações rápidas a poucos cliques. Isso também modifica a interação da empresa com seus colaboradores e resulta, principalmente em tempos de crise, na reestruturação dos negócios.

O RH, possuindo uma equipe de humanas, apresenta-se como o setor mais adequado para ajudar nos procedimentos de mudança, sejam eles culturais ou organizacionais. Saiba abaixo algumas atividades relevantes na reestruturação de empresas conduzidas por esses profissionais:

1. Avaliação dos colaboradores internos

É necessário que haja uma análise dos funcionários antes de qualquer decisão. Evite realizar esse processo de maneira interna, pois alguns colaboradores podem ser preteridos em relação a outros. Esse procedimento deve ser feito de maneira transparente e imparcial por um RH terceirizado.

2. Reorganização da estrutura organizacional

A mudança na estrutura organizacional tem o objetivo de otimizar processos. Geralmente é necessário simplificá-la ou modernizá-la para extinguir cargos, eliminar burocracias, substituir níveis hierárquicos, entre outras ações para facilitar a transformação que será provocada pela reestruturação de empresas.

3. Reavaliação das atividades e fluxos de trabalho

A implementação de novas tecnologias geralmente requerem mudanças nos processos de trabalho. Com isso, é necessário que haja o treinamento da nova rotina com os colaboradores. O RH pode verificar a melhor metodologia de acordo com as demandas internas.

4. Restabelecimento da motivação e do engajamento

Em tempos de crises e ações para a reestruturação das empresas é certo o clima pesado e cheio de incertezas. Só uma comunicação assertiva e transparentes pode gerar maior confiança aos colaboradores. Além disso, são necessárias outras atividades para trazer de volta sentimentos de motivação e engajamento internos.

5. Manutenção da comunicação clara e transparente

Evite que haja fofocas e comunicações mal formuladas nesse período. É época de todos se unirem para que permaneça um clima ameno dentro da empresa, mesmo com as adversidades.

6. Afastamento de conflitos nas equipes

A reorganização de diversos setores, da estrutura organizacional, do fluxo de atividades e de trabalho, entre outras mudanças podem gerar discussões entre colaboradores. É essencial que cada uma delas seja planejada de forma organizada e tenha comunicação anterior.

Leia também: Como a integração do RH e TI pode ajudar na sua empresa

7. Capacitação em novas ferramentas

A tecnologia é uma grande aliada na reestruturação de empresas. Se houver a implementação de novos sistemas é necessário que haja um treinamento prévio para evitar qualquer transtorno no dia a dia de trabalho.

8. Trabalho com outras áreas com objetivos diversos

Com as transformações digitais urgentes, os setores de RH e TI necessitam de cooperação para que haja a implantação de novas ferramentas sem gerar um impacto adverso dentro das organizações.

9. Obtenção do consenso de valores e significados

Em tempos de diversidades de pensamentos, é um desafio para o RH criar ações que criem uma cultura empresarial genuína, que possa incluir todos os colaboradores em um sentimento único de impulsionamento da empresa.

10. Criação de uma cultura colaborativa

Ter uma política de colaboração é fundamental para que a reestruturação da empresa torne-se bem sucedida. O RH deve treinar os líderes para que eles possam ser os grandes agentes de transformação internos.

Av. Rio Branco, 181 - Sala 1405 - Centro - CEP 20040-007 - Rio de Janeiro - RJ

Av. Rio Branco, 181 - Sala 1405 - Centro - CEP 20040-007 - Rio de Janeiro - RJ